quarta-feira, 21 de março de 2012

Retardado?!?!?

- Não chega perto, ele é retardado.

- Ele não é retardado, ele é meu tio e retardada é você.

Foi fácil para mim, aos 10 anos de idade virar as costas para minha suposta amiguinha e correr na direção do meu tio e abraçá-lo.
Estávamos no clube e eu tinha acabado de fazer amizade com algumas garotas e brincávamos na parte gramada quando uma delas apontou para o moço gordinho que estava sentado no muro a poucos passos de nós e pronunciou a frase que, desde muito pequena fazia o sangue subir à minha cabeça.
Eu sempre fui pacífica, sempre engoli sapos em nome da boa vizinhança, em nome da educação mas nunca aceitei calada que chamassem meu tio de retardado.

Eu, meus irmãos e meu primos crescemos encarando as limitações dele como algo perfeitamente normal. Para nós, uma criança especial, um deficiente físico, nunca foi motivo para olhares arregalados ou perguntas constrangedoras em voz alta. Estas pessoas eram, para nós, como meu tio, perfeitamente normais.

Titio sempre nos acompanhou em festas, viagens, passeios. Sempre alegre, sempre cercado de nosso amor e da certeza de que ele poderia fazer tudo o que quisesse em sua vida.

Nós, seus sobrinhos, sempre fomos tratados por ele com todo o carinho do mundo e meu tio foi uma das primeiras pessoas a segurar minhas filhas recém nascidas no colo.
Suas primeiras sobrinhas-netas.
E a emoção,o carinho e o amor que ele demonstrou quando teve uma das meninas em seus braços, poucas vezes pude perceber em qualquer outra pessoa.

O prognóstico de vida para pessoas especiais como ele é baixo.
Dizem que os mais fortes não passam dos 30 anos.

Titio já passou dos 60 anos, está velhinho, tomando remédios próprios para idosos. anda devagar e precisa de auxílio muitas vezes para seus cuidados básicos.

Mas o carinho com que ele fala "oh, minha sobrinha querida"  e me beija, continua o mesmo de quando eu tinha 10 anos e ele ainda tinha forças para me segurar no colo.

Eu, certamente não tenho forças para segurá-lo em meu colo mas o tenho, em todos os momentos, em meu coração.

Downs são anjos enviados por Deus para  fazer de cada um de nós, pessoas melhores.

Obrigada titio por existir e por fazer parte das lembranças mais bonitas de minha vida.

Amo você.


Eu e tio Wagner

3 comentários:

Lu Costa disse...

O tio Wagner é um exemplo de que o amor pode tudo! A vó Sabrie sempre contou que o médico falou para ela que ele não ia sobreviver até os 12 anos, depois 20.. e ele já passou dos 60! E está aí, firme, forte e lindo! Te amo, tio Wagner! Você não poderia ser diferente para nós! Você é perfeito!

Assino embaixo, Si! Vc falou tudo!

Beijoooooooooooooooo

Heloísa Bailarini disse...

Muito lindo, tia *-*

sos hollywood disse...

Si, sabe que demorei MUITO, para notar que esse texto era sobre o Tio Wagner? Cheguei a pensar muito no Carlos Eduardo, mas não nele.

É maluco notar que o carinho é capaz de esconder até mesmo algo tão, teoricamente, gritante e óbvio. Daí penso sobre a ignorância alheia, sobre a verdadeira origem do preconceito, que, nada mais é, que uma reação puramente visual e limitada. Alguém olha, tira uma conclusão e todas as ações seguintes serão baseadas naquela única olhada.

Certo é o Tio Wagner, que nunca pre-julga, que sempre sorri, que nunca se esquece. Retardados somos nós. Ele só é feliz. :)